Voltar à disposição inicial da página.

Restaurar

Marilyn Monroe: A diva morreu há 50 anos

Marilyn Monroe é, ainda hoje, uma das mais famosas estrelas de cinema de todos os tempos. Símbolo de sensualidade e ícone de popularidade no século XX, a grande diva morreu há 50 anos, mas a sua história de vida continua a fascinar todo o mundo.

A loira mais desejada de Hollywood foi encontrada sem vida aos 36 anos, na cama da sua casa em Brentwood, um bairro de elite de Los Angeles, no dia 05 de Agosto de 1962. As entidades oficiais divulgaram, na altura, ser a causa da morte uma ‘overdose’ por ingestão de medicamentos, mas, cinco décadas depois, o acontecimento continua a gerar controvérsia e inúmeras teorias de conspiração.

Perfil

Norma Jean Baker Mortenson, o nome verdadeiro de Marilyn Monroe, nasceu no dia 01 de Julho de 1926, no Los Angeles County Hospital, tendo vivido parte da infância em orfanatos. Aos 16 anos, casou-se pela primeira vez com James Dougherty.

Em 1945, a morena deslumbrante foi descoberta por um fotógrafo, tendo, em poucos meses, despertado a atenção das revistas e conseguido um teste para cinema na 20th Century Fox. Em finais de 1946, Norma Jean transforma-se em Marilyn Monroe e adoptava a sua imagem de marca: o loiro platinado.

Depois do divórcio com James Dougherty, a norte-americana casou-se pela segunda vez com o então famoso ex-jogador de basebol Joe Di Maggio.

Na memória universal ficará para sempre o famoso “Happy Birthday Mr.President”, canção que a actriz dedicou a John Kennedy, a 12 de Maio de 1962. “Os Homens Preferem as Louras” (1953), “O Pecado Mora ao Lado” (1955) e “Quanto Mais Quente Melhor” (1959) são os seus filmes mais emblemáticos.

Cinco décadas depois da sua morte, Marilyn Monroe continua a ter fãs em todo o mundo e os seus objectos pessoais são adquiridos por vários milhões. Em 2011, o esvoaçante vestido branco que a actriz usou no filme “O Pecado Mora ao Lado” foi vendido por 4,6 milhões de dólares (3,7 milhões de euros), em Los Angeles. Ainda no mesmo ano, um outro vestido usado no ‘western’ “Rio sem Regresso” (1954) foi adquirido por 516.600 dólares (423 milhões de euros), em Macau.

Marilyn Monroe, as últimas fotos

Estas são as últimas fotografias tiradas a Marilyn Monroe, na suite 261 do Hotel Bel-Air, em Los Angeles, em 1962. Foram precisas várias garrafas de champanhe Dom Perignon de 1953, muita paciência, três dias e três noites de trabalho para que Marilyn se despisse e o americano Bert Stern a conseguisse fotografar.

“O que distingue estas fotografias de todas as outras que foram tiradas à actriz é que nestas há já naquele rosto marcas de uma infelicidade que não é recente. Nestas fotografias, Marilyn exibe-se ainda mais do que no célebre calendário [de 1949, com fotos de Tom Kelley] e essas marcas tornam-se mais fortes, mais evidentes”, segundo Salvato Teles de Menezes, administrador delegado da Fundação D. Luís I.

Ao todo, foram captadas 2.571 imagens da diva e os negativos da maioria das fotos foram guardados a sete chaves pelo fotógrafo, que só as revelou ao mundo em 1982. Mas apenas 60 destas imagens integraram a exposição “Marilyn Monroe – A última sessão”, inaugurada em Paris, em 2006, e que passou pelo Rio de Janeiro, São Paulo, Nova Iorque, Seul, Londres e na cidade portuguesa de Cascais.

Deixe um Comentário